Este site é pessoal e tem o foco principal, nas notícias e fatos de interesse de nosso povo e das nossas coisas. Então, significa que não temos equipe e nem tempo para informar tudo o que acontece em Baião e região, ficando ao nosso critério divulgar as informações mais relevantes.
"Vote na enquete, assista os vídeos, deixe seu comentário e divirta-se."
Loading...

sábado, 7 de novembro de 2015

BANCO DO BRASIL É CONDENADO EM AÇÃO PENAL

BANCO DO BRASIL É CONDENADO EM AÇÃO PENAL



Depois de quase um ano sem funcionar a agência do Banco do Brasil em Baião, desde  11 de Setembro de 2014.

                O que ninguém sabia era que a agência só voltou a funcionar depois que começaram “pipocar” ações na justiça, exigindo a reabertura da agência e pedindo o pagamento de indenização por danos morais pelo descaso do banco com a sociedade baionense.
                A primeira ação ganha na justiça foi impetrada pelo advogado Tales Miranda, que ajuizou  ação penal em favor do aposentado  Domingo Lopes Pimentel, mais conhecido por “Coroca”.
Na ação o advogado pedia a reabertura da agência e indenização por danos morais, tendo em vista a humilhação a que foi submetida o reclamante, que para receber seu salário de aposentadoria, precisou se deslocar até Mocajuba tendo que enfrentar os perigos e os maus serviços prestados naquela agência daquela cidade.
                Em decisão o magistrado da Comarca de Baião Dr. Weber Lacerda condenou o Banco do Brasil a pagar ao reclamante a importância de R$ 3.000,00 reais por danos morais. Queremos ressaltar que durante a audiência na justiça, o representante do banco confirmou que a agência abriria dias depois, ou seja, em 24 de Agosto.
                Caso ninguém tivesse acionando a justiça, era capaz do banco ainda estar fechado, veja como é importante a população acionar a justiça para requerer seus direitos. É verdade que demora a ação, mas, em caso de direitos do consumidor e tarda mais não falha.
                O Banco do Brasil demonstrando que realmente nem liga pra Baião, em todas as ações movidas pelos correntistas do banco e que já chegam a cerca de 300, e em todo ele perdeu, o banco recorreu à instância superior, sendo que para isso eles têm que pagar R$ 1.500,00 reais por cada ação, poderia simplesmente pagar o autor da ação.