Este site é pessoal e tem o foco principal, nas notícias e fatos de interesse de nosso povo e das nossas coisas. Então, significa que não temos equipe e nem tempo para informar tudo o que acontece em Baião e região, ficando ao nosso critério divulgar as informações mais relevantes.
"Vote na enquete, assista os vídeos, deixe seu comentário e divirta-se."
Loading...

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Droga sintética preocupa pais e professores



Droga sintética preocupa pais e professores (Foto: reprodução)

Uma droga sintética conhecida como "docinho" está se revelando um perigo nas proximidades e dentro de escolas. Em Manaus (AM), relatos em grupos de redes sociais dão conta que a droga está circulando na capital.
Nesta quarta-feira (18), esses mesmos relatos também começaram a circular através das redes sociais, alertando sobre o uso do entorpecente nas escolas de Belém e Ananindeua.
A mensagem afirma que pais e professores estão preocupados, devido à facilidade de acesso e aquisição.
O "docinho" é uma droga sintética similar ao LSD, frequentemente associado e vendido em festas eletrônicas, e dissolve debaixo da língua.
O nome do entorpecente é devido ao formato de bombom e suas cores bastante vibrantes. 
INVESTIGAÇÃO
De acordo com a Polícia Civil, até o momento, não existe nenhum procedimento ou investigação pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) sobre esta droga, se está ou não circulando nas escolas. Por outro lado, afirma que esse e outros tipos de entorpecentes são bastante distribuídos em festas.
DOL também entrou em contato com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), secretarias de Educação de Belém, Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Estado do Pará (Sintepp) e Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) e aguarda retorno.
Por meio de nota, a Secretaria Municipal de Educação de Ananindeua (Semed) informa que já "possui conhecimento sobre esta variação de droga e a partir da próxima segunda-feira, 23, iniciará em todos os espaços de educação uma campanha de prevenção a drogas licitas e ilícitas"
A Semed informa que "desde 2013 realiza trabalhos preventivos desta espécie por meio de palestras nas escolas, formações de professores e programas educativos como o Proerd (Programa Educacional de Resistência as Drogas) da Secretaria Estadual de Segurança Pública". 
Fonte: DOL http://www.diarioonline.com.br/noticias/policia/noticia-368436-.html