Este site é pessoal e tem o foco principal, nas notícias e fatos de interesse de nosso povo e das nossas coisas. Então, significa que não temos equipe e nem tempo para informar tudo o que acontece em Baião e região, ficando ao nosso critério divulgar as informações mais relevantes.
"Vote na enquete, assista os vídeos, deixe seu comentário e divirta-se."
Loading...

terça-feira, 11 de agosto de 2015

VICIADO EM COCA COLA

“Coca-Cola está dominando minha vida”, declara britânico que consome 42 litros por semana.

O britânico Darren Jones, 38 anos, declara que não consegue ficar um dia sem consumir Coca-Cola Diet.
O vício de Jones é tão grande que seu hábito de tomar refrigerante chegou ao impensável número de 42 litros por semana, o que equivale aproximadamente 18 latinhas por dia. Ele gasta cerca de R$ 8.400,00 por ano para manter o hábito.
Apesar do espanto das pessoas ao ficarem sabendo de sua condição, Jones relata que não sofreu nenhum problema médico nos últimos 10 anos e seus dentes não foram afetados. Mesmo dando o péssimo exemplo dentro de casa, ele afirma que não permite que seus filhos tomem a versão diet da Coca-Cola.
Jones afirmou em um portal de notícias do Reino Unido que apesar de sentir que não teve sua saúde afetada pelo vício, precisa tomar sua dose diária de refrigerante ou entra em estado de alta irritabilidade, tornando-se extremamente mal humorado.
Pesquisadores especialistas em alimentos alertam que Jones está errado ao afirmar que não sofreu nenhum dano à saúde. Apenas pelo fato de necessitar desesperadamente de Coca-Cola Diet já caracteriza uma doença. Os médicos alertam que os refrigerantes de cola, mesmo na versão diet, possuem grande quantidade de cafeína e adoçantes artificiais que provocam problemas no organismo quando consumidos em excesso.
Uma pesquisa realizada em 2011 mostrou que adoçantes artificiais adicionados em alimentos dietéticos podem provocar aumento de peso indiretamente, ocasionando vontade de consumir alimentos com açúcar.
A Coca-Cola Diet usa em sua fórmula o aspartame, um edulcorante sintético com inúmeros artigos colocando em cheque sua segurança e alertando para os possíveis perigos ainda não confirmados. Embora órgãos oficiais de várias partes do mundo, entre eles o americano FDA, afirmar em estudos que o aspartame é absolutamente seguro, outros cientistas veem a substância com cautela. É bastante usado na indústria de alimentos pelo baixo preço em comparação aos edulcorantes mais seguros.
Uma pesquisa recente da Universidade de Yale, coordenada pelo professor Yang Qing, mostrou experimentalmente que o consumo de bebidas adoçadas artificialmente com aspartame e/ou sacarina fazem você ter desejo de comer mais.
Aparentemente, adoçantes conseguem ativar algumas partes do cérebro responsáveis pela recompensa alimentar, ou seja, você consome uma bebida diet, mas seu cérebro não se satisfez completamente, pois percebe que naquele alimento não existe açúcar ou existe em quantidades muito baixas, fazendo você desejar comer mais para satisfazer o desejo de açúcar.
Desse modo, bebidas que não possuem calorias, aparentemente, estimulam você a procurar alimentos doces para compensar a falta de açúcar naquele alimento que você acabou de consumir.
Fonte: Jornal Ciência